Família – Por Caco Belmonte

O irmão de nove anos entregou a raquete de incinerar insetos para o menorzinho de seis. – Duvido tu apertar o botão e lamber a grade, pra ver o que […]

O refúgio do Urutau – Por Caco Belmonte

Meu avô costumava se refugiar nos fundos do pátio, enfiado na meia-água de madeira com o telhadinho avançado que fazia as vezes de varanda. Lá dentro guardava as ferramentas e […]

Pastéis na hora

Ele tinha um bar solitário na praia isolada e nem se importava em vender, aquilo era passatempo. Único barraco mal-ajambrado na areia, bem ao lado do morro e boa parte […]

Lupicínio – Por Caco Belmonte

Havia um senhor negro de cabelos brancos na casa dos oitenta anos, embora aparentasse menos. Eu o via com frequência, usava boné de couro com aba, verão ou inverno. Nas […]

O cachorro que sabe viver – Por Caco Belmonte

Eu caminhava pela rua Curupaiti, mesma via da famosa figueira centenária cuja sombra, segundo relatos muito antigos, citações em alguns livros e nenhuma documentação histórica comprobatória, abrigou tropas revolucionárias Farroupilhas […]