Um ano de Brique de Ipanema – Por Marcia Morales

E o Brique de Ipanema comemorou um ano de existência! Do projeto de um brique comunitário levado pronto à SMIC, depois de tudo que aprendemos em um ano de eleições municipais, passou a ser um evento promovido por um Coletivo, sob a minha responsabilidade – isto também porque é o meu CPF que fica cadastrado nas licenças que providencio na EPTC e na SMAM a cada edição-, enquanto eu for a “coordenadora geral”, até que mais alguém da área da Cultura se habilite a trabalhar na gestão de um empreendimento criativo comunitário, que ocupa de forma gratuita o espaço público destinado aos expositores, como é o nosso Brique.

Cumprindo as regras vigentes e promovendo a regularização profissional dos indivíduos e grupos envolvidos, os nossos expositores e expositoras, assim como a comunidade, parecem estar satisfeitos com este primeiro ano de trabalho. Daqui em diante, após termos conhecido mais sobre o funcionamento das pessoas e das estruturas públicas, esperamos a continuidade de tudo que o projeto representa de bom para cada membro que compõe esse grupo muito legal de moradores do bairro e arredores. Um grupo que segue trabalhando como expositor(a) ou colaborador(a), organizando atividades ou eventos a partir dos novos projetos paralelos que dão vida ao Brique de Ipanema. Projetos que acontecem, hoje, por causa do amadurecimento das pessoas que foram se conhecendo e se aproximando nas reuniões que antecedem cada edição proposta. Ao comemoramos um ano de trabalho, portanto, comemoramos, também, as amizades entre todos nós, que, desde o início do projeto, nos encantávamos, certos de que cada edição do Brique se realizaria a partir da expressão e da valorização das nossas ideias recheadas de sentidos e significados.

Desde o começo, por inúmeros motivos, alguns expositores partiram, outros chegaram e continuam chegando, alguns até retornaram, mas o importante é que a maioria do grupo inicial persistiu e avançou até o que, hoje, a comunidade e os visitantes de toda a cidade identificam como o “Brique de Ipanema”. Seja quem vem conhecê-lo ou quem está retornando, todos compreendem que o nosso trabalho coletivo é um acontecimento positivo para a nossa orla, o nosso bairro! Felizes com todos os resultados, artesãos e artesãs, artistas plásticos e colecionadores, desejamos todos uma vida longa e tranquila ao nosso Brique de Ipanema, e agradecemos à comunidade e aos nossos inúmeros apoiadores e incentivadores!

Marcia Morales Salis - Arquivo Pessoal

 

 

 

Marcia Morales Salis
Moradora do bairro Ipanema, Gestora Cultural e
Delegada pelo RGS no Colegiado Setorial Artesanato do CNPC-MinC
marcia_ms@msn.com

 

7 thoughts on “Um ano de Brique de Ipanema – Por Marcia Morales

  1. Pingback: viagra pills
  2. Pingback: generic cialis
  3. Pingback: tadalafil generic
  4. Pingback: generic viagra

Comentários estão fechados.